terça-feira, 20 de abril de 2010

TECNOLOGIA EDUCACIONAL

TECNOLOGIA EDUCACIONAL
Aluna: Waldeni monteiro Fontes
Graduada em Ciências Biológicas (CEULP-ULBRA)
                                                                                                        Normal Superior (UNITINS)
Pós-Graduando em Metodologia para Educação Básica
Docente: Prof. Ms. Berilo de Sousa Lopes


RESUMO:
Este artigo tem o objetivo de esclarecer o significado e a utilidade da tecnologia na área educacional. Enfocar o diferencial entre a tecnologia e multimídia, pois muitos entendem ser tecnologia a multimídia, não conseguem de forma geral diferenciá-las.   A tecnologia é algo inerente ao ser humano, seu inicio coincide com a primeira ação que o homem teve para adaptar-se ao meio em que vive e é responsável pelo sucesso que o homem tem tido no domínio da natureza e do universo como um todo. Portanto a influencia de novas tecnologias não é meramente o aparecimento de aparelhos, mas pela modificação através destes, no modo de vida e que cria novas exigências educacionais nos indivíduos.


Palavras-chave: tecnologia, multimídia, professor e a tecnologia.


1 – INTRODUÇÃO


          Há nos dias atuais duas visões sobre tecnologia educacional, uma denominada de visão restrita, sendo esta a que analisa os fatos a partir do estudo e desenvolvimento dos meios. A outra é a visão ampla, esta considera o conjunto de procedimentos, princípios, lógicas ideologias, intenções, para atender os problemas educacionais. A visão restrita tende a considerar a tecnologia educacional ou não, já a visão ampla, considera que a inclusão de tecnologia está relacionada a determinadas condições políticas, sociais e culturais. Deve-se considerar que, as duas vertentes de estudos não se excluem entre si, mas sim, se completam. Conforme estudos e pesquisas realizados é correto afirmar que há três ciências sociais que sustentam as tecnologias educacionais, sendo elas: a  teoria da comunicação, a psicologia da aprendizagem e a teoria geral dos sistemas. A teoria da comunicação principalmente a partir dos anos 60, inclui a televisão e o radio, tornou-se nesta época uma referência para o campo da tecnologia educacional, mas hoje representa fonte de estudos no desenvolvimento de novas tecnologias baseadas em redes, que provocaram o aparecimento de novas linguagens. Para tanto as vertentes da psicologia da aprendizagem possui ampla integração com as tecnologias educacionais, com enfoques cognitivos psicogenéticos e socioculturais. A teoria geral dos sistemas tem sua contribuição para o controle dos processos educacionais com a finalidade de descrever o processo de programação ensino-aprendizagem, neste caso considerado como um sistema de tomada de decisões. 


2 – DESENVOLVIMENTO


2.1 – TECNOLOGIA


          A tecnologia não é um tema novo, mas nos últimos tempos tem-se falado com mais freqüência sobre este assunto, tanto nas escolas como no campo de trabalho. Segundo colocação de Cassiano Zeferino no texto nº. 1, esclarece que não basta ter computadores e software na escola, mas sim, é preciso algo de mais profundo que é o conhecimento para manusear tais mídias com segurança. Com nova tecnologia poderá ocorrer redução de trabalhos como a construção de possibilidades efetivas na elaboração de aulas e processos educacionais mais consistentes e ricos.  Em todos os momentos que se diz em tecnologia o que nos vem à mente são as máquinas os programas, no entanto, estes são considerados os meios para melhorar nosso trabalho. Tecnologia pode ser considerada como método ou uma técnica criada pelo homem para tornar seu trabalho mais leve. Tecnologia também se define como desenvolvimento sem fronteira cada dia surge uma nova idéia, podendo substituir as outra já existente ou até mesmo aperfeiçoá-las, pode se considerar como uma solução para os problemas mais eminentes. Ainda segundo Cassiano, texto nº. 1, uma tecnologia, conduz a soluções, as mais próximas possíveis daquilo que se pretende resolver, buscam alcançar a solução ideal sem jamais terem alcançado. Para maior esclarecimento, LEONE NETO, afirma em sua tese que a tecnologia possui aspectos políticos e sociais indissociáveis e que a sua  configuração é uma decisão ontológica carregada de conseqüências políticas.


2.1.1 - UM POUCO DE HISTÓRIA DA TECNOLOGIA


         Um pouco desta historia poderá fluir melhor a compreensão sobre tecnologia. Aristóteles diferenciou epsteme, sendo um conhecimento teórico da téchne, um conhecimento prático. Na idade média, os conceitos sobre tecnologia foram poucos explorados, sendo retomados em 1627 já na idade moderna, nesta época sendo a tecnologia um fator transformador e de bem estar da população, substituindo a ação da política. No século XX algumas definições surgiram como são os meios ou a atividade mediante a qual os seres humanos tentam mudar ou manipular o seu ambiente, a ciência ou o conhecimento aplicado, com a tecnologia produzimos instrumentos, proporcionando meios para construir objetos segundo nossas especificações. Para melhor esclarecimento pode se dizer que a ciência tem a ver com o que é a tecnologia, e com o que há de ser. Portanto a tecnologia é considerada como conseqüência da ciência. Nas sociedades industriais a tecnologia é considerada como fator gerador do desenvolvimento, prolongamento dos sentidos e habilidades naturais do ser humano é também definida como progresso. Ao longo da historia a tecnologia sempre se relacionou com a ciência, de acordo com SANCHO, nossa herança cultural vislumbra uma relação hierárquica, ou seja, uma relação de poder entre a teoria e a pratica. A tecnologia possui forte influencia sobre os indivíduos e a sociedade e tem estado historicamente ligada a um sistema específico de valores tornando possível a existência da ciência e que o resultado dos fatos é a conseqüência do que fazemos.


2.1.2 – TECNOLOGIA EDUCACIONAL


          As primeiras referências da tecnologia, segundo LEONE, deram-se na década de 40, como disciplina acadêmica. A tecnologia educacional surge a partir do uso de recursos audiovisuais como ferramenta educacional. Nos anos 50, as teorias relacionadas a psicologia educativa passam a ser incorporadas aos currículos escolares e de tecnologia educacional.  Esta incorporação provocou o aparecimento de novos paradigmas educacionais que influenciaram o desenvolvimento de tecnologias aos currículos, criando a necessidade de estudar e pesquisar a tecnologia educacional, de forma mais ampla e não simplesmente restrita ao uso dos meios.     Nos anos 60, houve um salto tecnológico nas comunicações, atingindo as massas e criando uma revolução eletrônica, apoiada principalmente pelo radio e pela televisão. Neste período uma nova ciência incorporou-se definitivamente no estudo das tecnologias ligadas a educação. A partir dos anos 70, as tecnologias de informação introduziram-se na sociedade em caráter irreversível baseado no desenvolvimento da informática, surgindo a primeira geração de softwares educacionais, culminado com a integração dos meios surgindo os sistemas multimídia e o aparecimento e desenvolvimento das redes de informações responsáveis por mudanças paradigmáticas em nossa sociedade, nos anos 80 e 90. Dentro da visão ampla da tecnologia, pode-se afirmar que a escola caracteriza-se como uma tecnologia, pois nada mais é que uma solução para a necessidade de proporcionar educação a sociedade. a escola é uma tecnologia da educação no mesmo sentido em que os carros são  tecnologia dos transportes. Dessa forma entende-se que a escola cumpre determinadas funções básicas da educação, que supre a necessidade de transmitir conhecimento, habilidades e técnicas. Em geral a tecnologia foi e é utilizada em todos os sistemas educacionais e não devemos confundir esta tecnologia com máquinas, aparelhos ou ferramentas. Segundo LEONE, toda aula possui uso de tecnologia, sejam expositivas, com estudos em grupos, com uso de livros ou textos, quando um professor planeja sua aula está se utilizando de tecnologia, desta forma a didática possui uma dimensão tecnológica. Na década de 50 e 60, a tecnologia educacional preocupou-se com os meios como geradores de aprendizagem.  A partir dos anos 70 tivemos o estudo do ensino como um processo tecnológico, atualmente há necessidade da tecnologia educacional que a partir da compreensão didática passe a gerar propostas que compreendidas com as finalidades educativas, assumam como essencial o sentido transformador da prática.
        

2.3 – MULTIMÍDIA


          O conceito multimídia nos últimos anos tem sido divulgado pelos diversos órgãos de comunicação e com incidência nas revistas, magazine e suplementos de jornais especializados. Muitos utilizam o devido termo como um produto, mas na realidade são recursos para desenvolver o uso das novas tecnologias. Nos anos 80 o termo multimídia era normalmente aplicado para definir um conjunto de informação apoiada pela comunicação de textos, cassetes áudios e gravadores de vídeo. A divulgação dos computadores nos anos 90, incluindo possibilidades de som e vídeo, renovou o conceito multimídia que passa a ter um novo significado, embora não muito diferente do primeiro antes conhecido, mas sim, mais completo e integrado. O computador pessoal tornou possível aceder e gerir uma extensa variedade de media de modo anteriormente impossível, facilitando a resolução de vários problemas na área de trabalho. Repentinamente a tecnologia oferece-nos um poder de armazenar e utilizar diferentes elementos, retirados de diferentes fontes num único meio como um disco compacto conhecido como CD (compacto disco). A mídia é conhecida como meios a serem utilizados nos setores de trabalho tanto quanto na área educacional, como exemplo  o computador, a televisão, o vídeo e outros, todos se envolvem na busca, na produção de conhecimentos, gerando desta forma a tecnologia que veio neste aspecto para solucionar diversos problemas. Com a utilização desses meios, informática, internet e de software, possibilitam produções multimídia e a conversão destes em paginas htm, podendo serem utilizados na internet, almeja-se a concretização da idéia do aluno enquanto autor. Desta forma este aluno poderá construir saberes que lhe sejam significativos e compartilhar com seus semelhantes, isto é multimídia auxiliando na aprendizagem do aluno. Esses recursos auxiliam na busca de informações e do conhecimento e ainda na pesquisa, na comunicação, troca de experiências, workgroups, telepresença e tantas outra possibilidades. A multimídia tem no momento alastrado e envolvido todo o planeta de forma generalizada, precisam-se manter atentos para esse grande potencial, porque o mundo da informática fornece conteúdos novos a cada momento que se passa como o livro e a televisão, mas quem o opera é que faz a diferença. As razoes que nos aproximam de todos os meios de comunicação é a necessidade de expressão de pensamento. Todos os meios desde a escrita até o computador e inúmeros outros existentes, foram criados pela necessidade do homem, por isso não se deve reduzir o uso da tecnologia na instituição educacional. A multimídia não deve ser considerada apenas como objeto de estudos, mas como meios pelos quais utilizamos para grandes descobertas geradoras de conhecimentos.



2.4 – PROFESSOR E A TECNOLOGIA


          Cada vez mais as tecnologias permeiam todas as nossas ações e atividades cotidianas, alterando a cultura social, o modo de viver e se relacionar, de aprender e de ensinar. Dentro do contexto educacional os professores se deparam com crianças, adolescentes que têm maior acesso aos recursos tecnológicos e que vivenciam a tecnologia como algo natural, rotineiro e prazeroso. Esses alunos tendem a interagir melhor em grupos, compartilham melhor as informações e as buscam de maneira ampla e multidimensional. Nesse sentido os professores precisam estar integrados com a tecnologia e as inovações que surgem a cada dia a nossa volta. Os mesmos devem estar abertos e plenamente capacitados para lidarem com este público já mencionado e serem ao mesmo tempo participantes das informações. Um professor deverá ter o perfil a nível de acompanhar esta evolução no processo educacional, atuando como facilitador, direcionando toda essa avidez e curiosidade para resultados de aprendizagem eficaz. É importante que o professor incorpore a tecnologia na sala de aula, às vezes com o uso da informática como ferramenta facilitadora no processo ensino-aprendizagem. Segundo o Ministério da Educação do Desporto, a televisão, o vídeo, o radio o computador e a internet, são importantes recursos auxiliares no processo de ensino-aprendizagem que, de uma forma ou de outra, já estão presentes no dia-a-dia dos alunos, mas que devem ser trazidos para dentro da escola, para serem utilizados de forma critica e criativa, aproximando o processo educativo da realidade dos alunos, tornando-o mais dinâmico, rico e contextualizado. Ainda o Ministério esclarece que conversa com professores sobre tecnologias educacionais é uma série de pequenos textos que se propõem a oferecer algumas idéias e possibilidades a reflexão e o debate nas escolas e principalmente a aplicação adequada das tecnologias à educação. A informática é um campo vasto e riquíssimo que pode ser aproveitado para fins pedagógicos, podendo ser utilizado como instrumento de comunicação, de pesquisa de produção de conhecimento, explorando sua interface ideográfica, característica das linguagens simbólicas. Segundo MORAN, em seu texto, afirma que o professor tem um grande leque de opções metodológicas, de possibilidades de organizar sua comunicação com os alunos, de introduzir um tema, de trabalhar com os alunos presencial e virtualmente de avaliá-los.  Cada docente pode encontra sua forma mais adequada de integrar as varias tecnologias e procedimentos metodológicos. Contudo é importante ressaltar que é de suma importância que amplie e aprenda a dominar as formas de comunicação interpessoal, grupal e as de comunicação áudio visual e telematica. Cada docente deve encontrar a forma que lhe ajude a sentir-se bem, a comunicar-se bem e a ensinar bem e desta forma ajudar os alunos a aprenderem melhor.




2.5 - CONCLUSÃO


          Com os grandes  avanços e desenvolvimento dos dias atuais, entende-se que a tecnologia tem mostrado de forma sucinta seu potencial e que às vezes se confunde com poder pelo grande potencial que ora representa. Portanto vale afirmar que a tecnologia é matéria, é força ou então, é tudo que criamos, pode também ser considerada como um tipo de pensamento expresso, uma vontade, um desejo realizado. A tecnologia nos proporciona escolhas de algo melhor e assim sua principal contribuição está expressa nas possibilidades, nas oportunidades e na diversidade de idéias. Segundo Kevin, veja 2007, a tecnologia pode nos tornar uma pessoa melhor, dando-nos oportunidades de sermos diferentes de nossos pais e encontrar novas mentes e novas idéias e criar algo novo. Uma tecnologia conduz a soluções, as mais próximas possíveis daquilo que se pretende resolver.
          A tecnologia educacional tem um grande compromisso com a reorientação e melhoria da educação e trata-se de abordar sob melhores condições a complexidade dos problemas. Esses meios são ferramentas de aperfeiçoamento que, ao serem inseridos no ambiente educacional, visam a qualidade do ensino e a ampliação dos referenciais de mundo dos usuários. Entende-se que mídia são os meios ou recursos utilizados para acontece e desenvolver a tecnologia, e neste aspecto produzem conhecimentos.
          Nos dias atuais as crianças como alunos, vivem em um meio de profundo avanço e já possuem conhecimento das novas tecnologias e uma rede de mídias as quais fazem parte de suas atividades, desta forma entende-se que os professores têm a maior necessidade de se aprofundarem seus conhecimentos nesta área, a fim de acompanharem o desenvolvimento de tais alunos. Portanto a tecnologia deve ser incorporada na sala de aula pelo professor para que seus alunos possam obter maior rendimento em sua aprendizagem, já que os mesmos estão envolvidos com tais recursos no seu dia-a-dia.
         

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

SANCHO, Juana Maria. Lição para usar a tecnologia. JB, Caderno Empregos de 20/06/1998. Rio de Janeiro

LEONE NETO, Eugenio R.A. Linguagem Televisiva Incorporada ao Currículo Escolar. Dissertação de Mestrado. Florianópolis, UFSC, 2000.

MORAN, José M. Como ver televisão; leitura crítica dos meios de comunicação. São Paulo: Paulinas, 1991.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto-MEC. Secretaria de Educação a Distância-SEED.

KELLY, Kevin. A tecnologia nos faz melhores. Disponível em: http//veja abril.com.br/especiais/tecnologias_2007/p_046.html acessado em: 09/09/2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário